Domingo, 3 de Junho de 2012

ESPANHA, 4º ESTADO "CAÍDO" da EUROZONA


Não é oficial mas é verdadeiro:
A Espanha é o 4º estado membro caído da Eurozona

por Yanis Varoufakis

Quando o primeiro-ministro espanhol declarou que o estado espanhol salvaria o Bankia enquanto, ao mesmo tempo, admitia que a Espanha não podia obter o cash para fazê-lo, havia duas explicações plausíveis sobre como este feito poderia ser alcançado.

Uma era que a Espanha se tornaria oficialmente o quarto estado membro da Eurozona a ter caído fora dos mercados, assegurando um salvamento do resto da Europa.

A segunda explicação era que a Espanha se tornaria o quarto estado membro da Eurozona a ter caído fora dos mercados, assegurando um salvamento do resto da Europa, sem admitir que isto fosse o caso – não oficialmente.

Imagine qual das duas opções a Europa escolheu: A segunda, naturalmente! Na verdade, por que confessar tudo quando a opção do subterfúgio está disponível?

Assim, foi isto que eles fizeram: A Europa permitiu à Espanha emitir nova dívida pública que é transmitida a bancos espanhóis (ao invés de dinheiro) em troca de acções. Então, os bancos enviarão esta nova dívida pública ao BCE como colateral em troca de cash que manterá em funcionamento as caixas multibanco dos bancos espanhóis. O resultado final será, naturalmente, que a dívida espanhola aumentará e os bancos permanecerão num estado zumbificado.

Compare-se e contraste-se isto com o que está a acontecer (a) na Grécia e Irlanda (países que estão oficialmente "caídos") e (b) no caso de bancos italianos tais como o Unicredit.

No caso da Grécia e da Irlanda, o estado toma emprestado do EFSF tanto na forma de cash como de títulos EFSF. Os últimos são dados aos bancos e são contados como parte dos empréstimos de salvamento do país. No caso de bancos como o Unicredit, o banco emitiria nova dívida privada (seus próprios títulos), tem o estado a garanti-lo e então envia estes títulos privados (mas publicamente garantidos) ao BCE em troca de cash LTRO [1] . O que é que eles têm em comum? Que a dívida pública aumenta em consequência da tomada de empréstimos ou directamente junto ao EFSF (Grécia e Irlanda) ou indirectamente junto ao BCE (Espanha e Itália). A única outra diferença é que países que estão oficialmente "caídos" (Grécia, Irlanda e Portugal) pagam taxas de juro mais altas ao EFSF do que os não oficialmente "caídos" pagam ao BCE.

Oh que confusas teias eles tecem, quando praticam a arte do engano (dos cidadãos e igualmente dos mercados)!

29/Maio/2012 [1] Long-Term Refinancing Operation, do BCE

FONTE: http://resistir.info
publicado por surfandonoassude às 20:38
link do post | comentar | favorito
1 comentário:
De Samuel Natanael a 3 de Junho de 2012 às 21:13
George Soros avisa: dou três meses de vida para o Euro, porque a economia Alemã vai quebrar.

http://www.revelacaofinal.com/2012/06/george-soros-avisa-dou-tres-meses-de.html


Adolf Hitler: Ocultista, instrumento do diabo e uma peça importante para a Nova Ordem Mundial

http://www.guerreirodoapocalipse.com/2012/06/adolf-hitler-ocultista-instrumento-do.html

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
15
17
20
21
22
23
26
28
29
30
31

.posts recentes

. A MENTIRA do RELATIVISMO

. SALVAÇÃO, de Onde Ela Vem...

. CONTROLE DO CLIMA - GUERR...

. GUERRAS e RUMORES de GUER...

. 75 MIL BRASILEIROS serão ...

. POSSÍVEL GUERRA Sul-ameri...

. ARMAGEDON FINANCEIRO depo...

. "E HAVERÁ SINAIS no SOL e...

. CIDADES "FANTASMAS" també...

. CRISTÃOS são CRUCIFICADOS...

.arquivos

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Fevereiro 2011

. Maio 2010

. Abril 2010

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds